O Trikke é seguro para a estrada?

Perigoso! Uma ameaça para a rua! Essas são algumas das acusações lançadas ao Trikke HPV (veículo movido a humanos) por seus críticos. A principal preocupação deles parece resultar dos movimentos de desvio rápidos e largos realizados pela scooter Trikke. Os críticos estão corretos? As scooters Trikke são realmente perigosas para outros pedestres quando associadas ao tráfego urbano? Vamos descobrir os fatos.

Ao ver o Trikke em ação pela primeira vez, você ficará surpreso com o fluxo gracioso e aparentemente sem esforço exibido pelo piloto para mover a scooter Trikke sem o auxílio de uma hélice mecânica. Mas o que alguns vêem como uma dança elegante e controlada, alguns interpretam como um monstro que se desvia e se inclina para forçá-los a sair da calçada para o trânsito. O mesmo foi dito para bicicletas e patins em linha e skates.

O que muitos podem não estar cientes é que andar no Trikke requer algum esforço, prática e concentração. Seus pilotos realmente impulsionam o Trikke em zigue-zague e os iniciantes fazem desvios mais amplos. No entanto, os iniciantes raramente praticam em ruas movimentadas. Os especialistas aconselham os novatos da Trikke a aprimorar suas habilidades em terrenos baldios, onde terão espaço suficiente para desenvolver as habilidades necessárias para controlar com segurança suas scooters Trikke.

Somente quando as aulas se aprofundarem e esses amadores da Trikke desenvolverem e dominarem um estilo próprio, eles estarão prontos para buscar novos desafios. E o outro ponto aqui é que um Trikke se move muito como um peixe. Assim como um peixe precisa se mexer para nadar, o Trikke precisa se mover para frente. Um peixe é altamente manobrável e pode fazer curvas amplas ou mais fechadas e ainda estar nadando para frente. Os pedestres não precisam temer que os Trikkers ocupem toda a pista porque um piloto experiente de Trikke pode facilmente estreitar suas curvas para coincidir com o espaço de uma bicicleta.

Como tudo na vida, o piloto da Trikke pode sofrer um acidente. Os acidentes mais comuns encontrados em qualquer esporte envolvendo velocidade são principalmente quedas e colisões. A queda de passageiros do Trikke ocorre ocasionalmente, mas não é comum e, definitivamente, ocorre com menos frequência do que o número de quedas acidentais de outros tipos de HPVs. Mesmo assim, ainda é uma boa ideia usar seu capacete e equipamento de segurança quando estiver em seu Trikke. Além disso, as quedas do Trikke costumam acontecer com os pilotos que ignoram as precauções de segurança incluídas nos manuais que acompanham suas scooters Trikke. Portanto, seja inteligente.

Na verdade, o Trikke foi projetado tendo em mente a segurança e a manobrabilidade. Ao contrário da postura de dois pontos da bicicleta e dos patins, a sua scooter Trikke tem uma postura em forma de “V” de três rodas que é muito estável, ainda mais acentuada pela presença de um sistema de travagem manual para ambas as rodas traseiras Trikke para controlar a velocidade. O volume e a rigidez da bicicleta e as botas e rodas amarradas aos pés durante a patinação tornam os dois HPVs mais resistentes ao movimento durante situações de emergência repentina, enquanto seu Trikke é flexível o suficiente para fácil manobrabilidade. Tudo isso permite que sua scooter Trikke desvie ou freie rapidamente em áreas lotadas com controle total.

Apesar de todas as desvantagens de outros HPVs, as pessoas tendem a aceitar sua presença nas estradas por causa da familiaridade. Não deixe que a aparência bizarra e a velocidade dos Trikke o induzam a acreditar que eles não são seguros. Se permitirmos que bicicletas, patins em linha e outros HPVs passem silenciosamente em pistas lotadas, percebemos o quanto mais podemos confiar no Trikke, que é capaz de entrar e sair de áreas lotadas com total controle?



Source by Jae Winters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *